sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Hipertextualidade na educação

"Ser hipertextual é a configuração padrão do ser humano,  
a linearidade é que exige treino."
André Lemos

Tenho pensado muito sobre isso. Como diz o Marcelo Trasel:
"Deixada à própria sorte, nossa mente passa de imediato a realizar livre-associações. Os alunos atuais não se dispersam porque a Internet os acostumou a começar uma busca procurando por dados sobre a extensão do Rio Amazonas e terminar tendo frio na espinha ao ler notícias sobre pessoas atacadas pelo candiru. Eles se dispersam porque nossa mente é dispersiva e a Internet é uma reprodução técnica desse caráter hipertextual do pensamento."
Mas como a escola lida com essa situação? Qual é o ponto de equilibrio entre a hipertextualidade e a linearidade na escola?

Buscando respostas encontrei alguns textos interessantes:

http://www.ufrgs.br/limc/PDFs/links_multi.pdf

A Hipertextualidade como Ambiente de Construção de Novas Identidades Docentes
http://www.lynn.pro.br/pdf/educatec/ramal.pdf


https://www.ufpe.br/nehte/simposio2008/anais/Ana-Cristina-Lobo-Souza.pdf

Elogio da linearidade
http://trasel.com.br/elogio-da-linearidade/

E conheça um pouco mais dessa história:


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Dicas para construir infográficos

O infografista Mário Kanno é editor-adjunto de infografia da Folha de S.Paulo, e tem muitas dicas para compartilhar. Confira minha seleção de ideias:


[...] Os infográficos são mais eficientes que apenas textos ou imagens. Do que textos porque as informações são apresentadas de forma mais clara com a ajuda de mapas, gráficos e esquemas. Do que apenas imagens porque a combinação de elementos gráficos permite uma narrativa visual orientada.

[...] Os infográficos devem ser produzidos para melhorar a informação, não para enfeitar uma página ou com ilustrações sem sentido.

[...]  Um bom infográfico é aquele que a pessoa olha e entende. Ele combina texto e imagem criando uma narrativa na forma de diagrama.

[...] O uso de infográficos vem se popularizando e sua utilização em materiais impressos e digitais é cada vez maior. Uma dica importante é que não basta apenas saber ilustrar ou diagramar, tem que saber apurar, escrever e editar.

[...] É preciso ter "rigor jornalístico" na composição de infográficos. "Só ilustre o que tem certeza", nos ensina Mario.

[...] Para saber se uma matéria precisa de um infográfico, é necessário analisar a quantidade de processos ou eventos a serem descritos e o grau de dificuldade em explicar o funcionamento de algo.

[...] Vale ressaltar que é a abordagem e não o assunto que determina qual o tipo de infográfico mais adequado para determinado conteúdo.

[...] DICA: o ideal é começar pelo título, fazer um rascunho, pensar em textos objetivos e "telegráficos". As informações devem ser divididas em tópicos com subtítulos. Uma boa imagem também é fundamental.

::ACESSE AS REFERÊNCIAS::

www4.moderna.com.br/educatrix/ed1/educatrix1.html?pag=1

http://portalimprensa.uol.com.br/noticias/brasil/43847/so+ilustre+o+que+tem+certeza+diz+editor+de+infografia+da+folha+de+spaulo/

Como trabalhar com infográficos na escola

O uso de infográficos está modificando o modo como nos relacionamos com a linguagem e o conhecimento, possibilitando uma leitura não linear. A imagem tem ganhado cada vez mais importância na nossa sociedade (linguagem não verbal) e, nesse contexto, os infográficos vêm conquistando espaço por conseguirem organizar, apresentar e transmitir informações integrando ilustrações, textos e dados.

“O ser humano é uma espécie visual. Mais da metade do nosso cérebro está relacionada com atividades que têm a ver com o processamento de informação visual.”
Alberto Cairo

Dicas para fazer um bom infográfico:
  • escolher informações corretas;
  • interpretar a informação, cuidando para que ela expresse aquilo que se quer dizer;
  • escolher as formas gráficas que facilitem a leitura e estejam adaptadas à natureza dos dados expostos.
Dicas para ler e interpretar um infográfico:
  • A leitura de um infográfico é um processo dinâmico que estimula a investigação.
  • Ele mostra uma narrativa que pode ser lida de forma não linear.
  • Normalmente se começa com uma leitura ampla, de todo o infográfico.
  • Em seguida se lê cada elemento: definições, listas, tópicos, mapas, gráficos, etc.
  • É comum olhar primeiro o todo, depois se aproximar para ver detalhes, se distanciar novamente e assim por diante.
  • A informação é reconstruída gradualmente pela exploração dos significados de suas partes e por sua articulação por meio da distribuição dos componentes na página, pelo uso de marcadores gráficos e por referências escritas e visuais cruzadas.
  • Os olhos se movimentam entre as partes semanticamente relacionadas de textos e imagens. Veja como:

Para saber mais:

Como construir infográficos na escola
http://bloguinfo.blogspot.com.br/2012/06/como-construir-infograficos-na-escola.html

Softwares para construir infográficos
http://bloguinfo.blogspot.com.br/2012/06/construindo-infograficos.html

Revista Educatrix - Alfabetização gráfica - pg 53
http://www4.moderna.com.br/educatrix/ed1/educatrix1.html?pag=1
x

domingo, 16 de setembro de 2012

Cabine de fotos online

Essa é mais uma ótima ideia para trabalhar com fotografia na sala de aula. As cabines de foto já foram muito populares no exterior na década de 80 e eram encontradas em parques, teatros, praças de alimentação e até mesmo na rua.

Elas ainda existem, mas agora podemos simular essa experiência online no site La Photo Cabine. Para entrar nessa cabine virtual é preciso ter uma webcam, se posicionar e apertar o botão vermelho. A “máquina” irá disparar quatro vezes e "voilá"... é só escolher seu melhor ângulo e fazer pose!


Ficou interessado? Confira um passo-a-passo para aprender a usar aqui: http://cump.com.br/?p=1178

Ou clique aqui para começar a sua experiência:
www.laphotocabine.com

Trabalhando com fotografia na escola

A fotografia pode ser utilizada de duas formas na escola: com a apreciação de imagens já existentes OU com a produção de imagens pelos alunos. Estou mais interessada em explorar a segunda opção: vamos deixar os alunos fotografarem?

"Fotografar é colocar na mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração."
Henri Cartier-Bresson

Mas por que trabalhar com a fotografia na escola? Um bom motivo é o fato de que cerca de 36% dos estudantes brasileiros possuem aparelhos de celular com câmeras fotográficas, segundo IBGE (veja aqui). Quantos dos seus alunos também têm uma máquina a sua disposição?

Outro motivo é que a fotografia promove a interdisciplinaridade, tanto no estudo específico desse recurso (sua história, conceitos básicos de óptica e semiótica, etc.) quanto no uso das imagens em diversos temas.

Segundo reportagem na Revista Nova Escola:
Dissecar o ato e a fotografia em si é uma atividade que deve ser desenvolvida combinando:
  • reflexão (contextualização e pesquisa),
  • apreciação (interpretação de obras artísticas) e
  • produção (desenvolvimento de um percurso de criação).

Além disso, alguns conceitos são fundamentais: luz, ângulo, perspectiva, composição, planos, textura, foco e movimento. A sugestão é que esse conteúdo possa ser aprofundado durante a apreciação e análise das imagens feitas por pessoas comuns e por profissionais, pois é através da visualização e das intervenções do professor que o aluno o perceberá de forma contextualizada e terá condições de avaliar o impacto que os vários elementos causam quando são usados conscientemente e quando o autor não os conhece.

Depois disso, chegou a hora de fotografar! Conheça mais sobre o assunto assistindo o documentário FOTOGRAFIA: Exercício do Olhar:



Visite algumas sugestões de projetos envolvendo a fotografia:

>> Olhar Fotográfico - Revista Nova Escola
http://revistaescola.abril.com.br/arte/pratica-pedagogica/olhar-fotografico-fotografia-luz-enquadramento-angulo-538560.shtml

>> Fotografia na Escola: Ampliando Olhares
http://www.artenaescola.org.br/pesquise_artigos_texto.php?id_m=69

>> Fotografia na Sala de Aula
http://educador.brasilescola.com/orientacoes/%20.htm

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Editando imagens online

Com a popularização dos dispositivos móveis e a onda do Instagram, atividades envolvendo fotografias e imagens têm se popularizado na escola. Eu gosto de explorar ferramentas online, pois assim não preciso instalar programas e posso editar minhas imagens em qualquer lugar. Depois que a Google fechou o Picnik (versão online) eu tive que procurar outras opções. Seguem boas alternativas:


1) Pixlr:

O site parece muito interessante para os ex-usuários do Picnik. A versão Express é muito parecida a do seu ex-concorrente, além de permitir salvar as imagens editadas apenas em seus desktops. O Pixlr é rápido para fazer upload de fotos e oferece uma variedade de opções de "ajuste" no menu, contando com vários filtros. Não é necessário ter cadastro, login ou senha, basta acessar e você já começa editar suas fotos e imagens.




2) SumoPaint:

Com uma interface bem intuitiva e ferramentas úteis, o SumoPaint se destaca pela facilidade do uso e ferramentas mais elaboradas como nuances de pincéis e camadas ao estilo do Photoshop. Não requer login para ser usado, ma caso você prefira se cadastrar, irá ganhar um bom espaço para armazenar suas imagens. Apesar de ser gratuito, alguns usuários reclamam que ele é meio lento.



3) Adobe Photoshop Express:

A versão online do Photoshop oferece diversos dos seus efeitos e 2 GB de espaço para publicar fotos mediante cadastro - gratuito. Ele proporciona um trabalho mais profissional trazendo algumas das principais ferramentas e filtros simplificados para uma versão leve e com visual bem arrojado – tudo no seu navegador. É possível integrar essa ferramenta com os álbuns e galerias de sites como o Flickr, Photobucket, Facebook e Picasa. Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/1342-como-usar-photoshop-express.htm#ixzz26Y4U3Fqw


4) Saiba mais:

>> 10 Sites para editar suas fotos online

http://depoisdas10.com/10-sites-para-editar-suas-fotos-online/

>> Editar imagens e fotos online: conheça alguns dos melhores editores!
http://mestredossites.com.br/2012/08/editar-imagens-e-fotos-online-conheca-alguns-dos-melhores-editores/

>> Quatro alternativas ao editor online de fotos Picnik
ijnet.org/pt-br/stories/quatro-alternativas-ao-editor-online-de-fotos-picnik

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Trabalhando com fotos na escola

Nós adoramos registrar os momentos importantes com fotografias. Que tal fazer isso na sala de aula de um jeito diferente? Há muitos trabalhos na mídia super criativos fotografando super-heróis e personagens dos contos de fadas.

A ideia é simples:
  1. Escolha junto com seus alunos os personagens favoritos da turminha. 
  2. Procure bonecos desses personagens.
  3. Crie cenários para fotografá-los: pode ser no parquinho, usando peças de Lego, dioramas, etc. 
  4. Depois é só fotografar, explorando diferentes ângulos e a iluminação.

Quer ver como pode ficar o resultado?

1) Exposição apresenta super-heróis em pontos turísticos de SP
 
 
2) Celebridades viram personagens da Wall Disney 
 

Atividades sobre Super-Heróis

Quais são os Super-Heróis preferidos dos seus alunos?

Super-heróis, seres imaginários de capa e espada ou simplesmente com algum poder extraordinário fazem parte da vida das crianças. Para a psicóloga Rosely Sayão, "jogos de faz de conta, criações, invenções, tudo isto faz parte dessa fase. Isto ajuda a criança a recolocar suas angústias perante o mundo."


1) PESQUISANDO...

Faça uma enquete com seus alunos e descubra quais são os personagens preferidos dos alunos. Construa cartazes com as informações em tabelas ou gráficos. Ilustre com desenhos ou gravuras recortadas de gobis e revistas.

2) VALORES...

Quais são as principais características dos super-heróis? Faça uma lista com os valores mais importantes para as crianças: coragem, força, inteligência, etc. Explore esse tema com as crianças, enfatizando os aspectos positivos da personalidade que poderão servir de exemplo para os pequenos.

3) VÍDEOS e ANIMAÇÕES...

Assista a vários vídeos, quem sabe selecionados pelas crianças. Valorize a diversidade, para agradar meninos e meninas por exemplo. A animação da Turma da Mônica a seguir pode gerar muitas atividades.



4) FOTOGRAFANDO...

O Projeto Heróis Urbanos da fotógrafa Katia Arantes que mistura os pontos turísticos da cidade de São Paulo com bonecos de famosos super-heróis dos quadrinhos, games e filmes pode servir de inspiração para esse trabalho. Com os bonecos dos alunos crie cenários e fotografe. Depois organize uma exposição (quem sabe virtual) com os super-heróis das crianças em situações inusitadas. Veja algumas sugestões:


5) FESTA A FANTASIA...

Depois de tudo isso, quem sabe você organiza uma festa a fantasia? E fotografa as crianças em poses semelhantes as dos seus super-heróis preferidos? Muitas atividades poderão ser feitas com essas imagens usando um EDITOR como o Paint, Gimp,... ou o que estiver disponível no seu computador.

::SAIBA MAIS::

>> Os super-heróis e o apego na infância
http://primeirainfancia.org.br/?p=8006

>> A influência dos heróis na vida das crianças
http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI69414-15151,00-A+INFLUENCIA+DOS+HEROIS+NA+VIDA+DAS+CRIANCAS.html

>> Pelo direito à fantasia
http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI181790-15151,00-PELO+DIREITO+A+FANTASIA.html

Atividades com Contos de Fadas

Todos os anos faço algum projeto envolvendo os Contos de Fadas. Para esse ano me inspirei nas campanhas da fotógrafa Annie Leibovitz que desde 2007 cria imagens que mesclam a realidade dos famosos com o mundo da fantasia para a série Disney Dream Portrait (Retratos de Sonhos da Disney, com tradução livre para o português).

1º) Pesquisar e conhecer as imagens da série Disney Dream Portrait .

Russell Brand como Capitão Gancho, de Peter Pan
 
Disney (Foto: .)


Jack Black, Will Ferrell e Jason Segel como Phineas, Ezra e Gus, de Casa Assombrada

Disney (Foto: .)


Olivia Wilde e Alec Baldwin como Rainha Má e Espelho Mágico, de Branca de Neve e os Sete Anões

Disney (Foto: .)


Penelope Cruz e Jeff Bridges como Bela e o príncipe, de A Bela e a Fera

Disney (Foto: .)


Queen Latifah como Ursula, de Pequena Sereia

Disney (Foto: .)

2) Descobrir como essas imagens são criadas a partir dos vídeos com a produção das fotografias:









3) Produzir com os alunos fotos dos seus personagens preferidos, seguindo as dicas dos vídeos e utilizando softwares de edição de imagens, como o Gimp.



 “As histórias e os personagens propiciam que a criança se projete. É algo imaginário, mas é uma realidade naquele momento. Ela entra em contato com um monte de sentimentos. Com a vivência daquela história e daquele personagem, ela aprende lições e enriquece o seu mundo interior.

Ivani Magalhães

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

A Escala do Universo

Você já pensou no tamanho do universo? 
E se imaginou viajando por ele? 

Pois agora isso é possível com a animação Escala do Universo. Ela permite uma viagem por todas as escalas do Universo e foi criada pelos irmãos Cary e Michael Huang.

A viagem começa na espuma quântica na escala de frações de yoctometros, passa por átomos, moléculas, vírus, células, seres vivos, planetas, estrelas, nebulosas, galáxias, aglomerados, o agrupamento local, o universo observável e o próprio Universo, com tamanho medido em yottametros. Eu passei horas navegando!

Funciona assim: você tem um scroll bar (barra de rolagem) logo abaixo da animação que é o zoom. Rolando para a direita você afasta as imagens e inda para a esquerda você aproxima. Também é possível clicar em cada item para obter mais explicações.

Esta já é a segunda versão da animação (http://static.flabber.net/files/scale-of-the-universe-2.swf) por enquanto apenas em inglês.  Mas a animação original também está disponível em português, clique aqui para acessar: http://htwins.net/scale/pt.html

Divirta-se e aprenda muito com essa experiência:  


 
::SAIBA MAIS::

http://scienceblogs.com.br/100nexos/2010/01/a_escala_do_universo_do_yocto/

http://youpix.com.br/trending/a-escala-do-universo-na-ponta-do-seu-mouse/

http://www.sedentario.org/colunas/duvida-razoavel/viaje-pela-escala-do-universo-52440

http://www.tecmundo.com.br/curiosidade/19154-conheca-a-escala-do-universo-de-maneira-ainda-mais-impressionante.htm

sábado, 1 de setembro de 2012

Atividades para a Semana Farroupilha: Livro Nossas Riquezas

O tema da Semana Farroupilha de 2012 é NOSSAS RIQUEZAS como uma forma de homenagear as belezas naturais do estado, despertar nas entidades tradicionalistas, nas escolas e em toda a sociedade o interesse pelo estudo e pela divulgação das riquezas do Rio Grande do Sul.

O objetivo dessa temática é favorecer a compreensão da geografia, da história e do potencial econômico que o uso das “riquezas” possibilita. Conheça os principais tópicos:
  1. Fauna
  2. Flora
  3. Água
  4. Agricultura
  5. Indústria
  6. Comércio
  7. Energia
  8. Extrativismo
  9. Cultura
Confira o livro produzido especialmente para esse evento:
http://www.youblisher.com/p/408274-Nossas-Riquezas/

E a página oficial do evento:
http://www.semanafarroupilha.com.br/tema.php

"Rendemos homenagem à mãe natureza, pelas maravilhas da nossa paisagem geográfica, e ao povo sul-rio-grandense pelas riquezas que criou e pela cultura que construiu."
Odila Paese Savaris
Pedagoga – Conselheira do MTG/RS

Compartilhe