quarta-feira, 20 de setembro de 2006

.::O “internetês” : culpado ou inocente?::.

Como temos a necessidade de julgar as coisas... tudo tem que ser classificado: faz bem? Ou mal?

E escrever? Faz bem ou mal?
Depende??? Depende do quê?
Da forma como se escreve?
Será criminoso escrever errado?
É crime criar uma nova forma de comunicação mais dinâmica? Mais viva?
Mudar é crime??? Alguém já não disse que 'tudo se transforma'??? Será que tudo???

Eu tenho uma opinião formada, e já publicada em um post anterior ".::A escrita e a leitura dos jovens::. ". Mas cada um tem que construir seus conceitos e sua opinião sobre o assunto.

Na Biblioteca do site Educação Pública, na sessão Tecnologia, encontrei um artigo maravilhoso que aponta para várias possibilidades e dá subsídios para que cada um construa seu ponto de vista através de links com diversos autores.

Vale a pena a leitura de 'A língua secreta que só a tribo entende', de Carmen Granja. Ela fala em 'uma nova linguagem, oriunda do mundo virtual, invade o mundo real e é usada nas mais diversas situações, chegando até mesmo ao ambiente escolar. ' Mas o trecho que eu destaco é o seguinte:

"Não podemos nos esquecer, no entanto, que o modo de ver e interagir com o mundo, de sentir e de atuar são sempre orientados pelos meios de comunicação. O papel do educador é o de preparar o educando para usar criticamente as diversas formas de linguagens e também utilizá-las de maneira adequada."

Outros posts sobre o assunto:



0 pessoas deixaram comentários!:

Compartilhe