terça-feira, 20 de março de 2012

QRCode nas aulas de História

Acredito que o QRCode pode facilitar a vida do professor, encurtando o caminho entre o interesse do aluno e o conteúdo. O uso dos códigos não precisa, inclusive, ter caráter obrigatório. O professor pode distribuir cartões impressos para serem fixados nos livros OU incluir o quadradinhos nos seus trabalhos e testes. Acessa a informação quem tiver interesse!

Mas as aulas de História são um espaço perfeito para usar esse recurso...

::IDEIAS::

1) Criar QRCodes que levem a complementos do conteúdo trabalhado em aula: vídeos, mapas, imagens de um determinado período histórico, etc. e distribuir para os alunos colarem nos seus cadernos ou livros didáticos.


2) Pedir para os alunos criarem QRCodes para determinados tópicos do conteúdo estudado, ampliando seus conhecimentos através de simulações, apresentações, imagens, etc. Distribua os códigos impressos entre os colegas da turma para que todos visitem os links e depois colem no local correspondente no livro didático, por exemplo.


3) Criar conteúdo online com seus alunos e gerar QRCodes que levem a ele. Espalhar os códigos impressos em locais relevantes e que tenham relação com o tema abordado. Uma turma pode gerar conteúdos e códigos para outra, da mesma ou de outra escola.


4) A HISTÓRIA DAS COISAS: seria interessante colar QRCodes em objetos que levem até informações históricas sobre ele. Por exemplo, objetos referentes a história da imigração na região; a vida pessoal; a um fato histórico; etc.


5) Eu gosto de associar mapas para localizar os alunos nas aulas de História, afinal todo fato histórico aconteceu em algum lugar! Quem sabe os alunos podem ser direcionados a esse recurso através de QRCodes?

QUER MAIS IDEIAS? Use o QRCode ao lado e descubra o que mais pode ser feito nas aulas de História!

Outros posts sobre o assunto:



1 pessoas deixaram comentários!:

Anônimo disse...

A EDITORA DO BRASIL, através do PROJETO APOEMA (FUNDAMENTAL 2) , traz esse recurso para o professor e o aluno explorarem os conteúdos em 2014.

Compartilhe